convite-alexflemming

 

A partir de 13 de agosto, o artista por trás dos rostos anônimos no Metrô Sumaré apresenta a mostra gratuita “Alex Flemming: RetroPerspectiva” no MAC USP.

Os paulistanos que já passaram pela Estação Sumaré do Metrô de São Paulo já devem ter reparado alguns rostos anônimos em painéis de vidro sobrepostos por poemas brasileiros. O seu artista criador traz a São Paulo a exposição gratuita Alex Flemming: RetroPerspectiva a partir do dia 13 de agosto, no MAC USP Ibirapuera. Experimental por princípio, Alex Flemming comemora 40 anos de profissão apresentando obras suas de diversas séries, desde objetos até pinturas sobre superfícies não tradicionais.

Alex Flemming: RetroPerspectiva traz 110 obras das últimas quatro décadas de produção do artista. Livre de escolas, movimentos e formas, Flemming sempre pesquisou diferentes materiais como suporte de suas pinturas, como gravuras, fotografias, objetos e instalações. “Transformo objetos da minha vida em arte e fotos em pinturas. Retorno a temas sobre os quais me dediquei 10 anos atrás e volto ao assunto, porém sob outro ponto de vista. Meu trabalho reflete essa exposição: ele é circular, não linear”, diz Flemming.

Com uma obra de caráter autorreferente, Flemming traz pinturas que têm como suporte suas próprias roupas, assim como o prato em que comeu, as cuecas que usou, os cartões de crédito que gastou, os dentes que tirou. “Auto-Retrato em Auschwitz”, por exemplo, mostra sapatos que Flemming utilizou ao longo da vida, pintados da mesma cor, formando um círculo em que não se vê o fim.

O artista fotografa nudez feminina/masculina desde os anos 80 e trabalha o corpo como tema central de sua obra. Alex Flemming: RetroPerspectiva é uma mostra sobre a sexualidade, o desejo, a eroticidade e a morte. Refere-se ao clássico tema grego Eros versus Thanatos, a personificação do Amor e da Morte. Nessa linha, a exposição traz a instalação “Lápides”, em que computadores são transformados em arte por meio da pintura, simbolizando a morte do computador, a morte da tecnologia e a morte do usuário. Na exposição, também estarão disponíveis obras consagradas como as séries Alturas, Body Builders, além da mais recente: Caos.

Olímpiadas 2016

Alex Flemming foi convidado para expor suas obras no Museu Olímpico Internacional, em Lausanne, na Suíça, como parte da programação especial sobre as Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. São nove telas em grandes proporções da série “Atletas”, produzidas no final dos anos 80, além de novas obras retratando esportistas. A mostra em Lausanne ficará aberta até o final dos Jogos Olímpicos.

Sobre Alex Flemming

“Ser artista é aceitar o desafio de se expressar diferentemente conforme a vida evolui”, diz Alex Flemming. Filho de um piloto e de uma aeromoça, ele é um cidadão do mundo. Formado em Cinema pela Fundação Armando Álvares Penteado, o artista surgiu no meio artístico nos anos 70, com gravuras sobre o cotidiano e contestação sócio-política. Iniciou intensa dedicação à pintura quando ganhou bolsa de estudos da Fundação Fulbright e cursou o Pratt Institute de Nova York. Atualmente, Flemming mora na Alemanha, mas visita o Brasil com frequência para fortalecer suas raízes.

SERVIÇO

Alex Flemming: RetroPerspectiva

Local: MAC USP Ibirapuera
Endereço: Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301 – Ibirapuera
Temporada: 13 de agosto a 11 de dezembro
Funcionamento: Terça a domingo, das 10h às 18h
Contato: (11) 2648-0254
Entrada gratuita